Segunda-feira, 17 de Março de 2014
Meia-Maratona de Lisboa

 

 

Este passado Domingo fiz pela primeira vez a maratona de Lisboa. Normalmente não escrevo sobre estas coisas, até porque este blog é sobre fotografia e temas relacionados. Mas as circunstâncias foram especiais, foi um privilégio para mim a forma como tudo aconteceu e aquilo que presenciei, e que por isso, resolvi registar.

 

Em primeiro lugar, tive a hipótese de participar na maratona porque uma pessoa, que é atleta profissional invisual, e que está ligada à organização do evento, me deu essa oportunidade - pois as inscrições já tinham expirado, mas ainda sobravam alguns dorsais. Estes dorsais eram para a organização, patrocinadores, etc.. Fui com 2 atletas profissionais para a linha da frente. Grande responsabilidade. Felizmente para mim, não eram só os grandes atletas que lá estavam , mas todo género de pessoas que se enquadravam dentro dos patrocinadores do evento e que estavam ali com o único objectivo de gozar o trajecto, correr o melhor que pudessem, e chegar ao fim.

 

É bonito de ver tanta gente junta unida pelo mesmo objetivo, mas mais bonito ainda é ver pessoas que ultrapassam as suas limitações e vão mais além, que conseguem e vencem. Este casal que me acompanhou é um claro exemplo disso. Os dois, sendo grandes figuras do atletismo nacional (facto do qual só me apercebi mais tarde), são um exemplo de vida para todos nós. A entreajuda, a cumplicidade, a determinação, a humildade e o bom humor de ambos (apesar das limitações visuais de uma das partes), tornou esta minha estreia nas maratonas num dia inesquecível.

 

Lisboa está de parabéns por todas as iniciativas que desenvolve para dar qualidade de vida aos seus cidadãos, por aproxima-los em torno de objectivos comuns, e que fazem a nossa vida mais feliz. Cidade como a nossa não há e eu tenho de aproveitar para tirar muitas fotografias : ).

 



publicado por Marta às 13:09
link do post | comentar | ver comentários (2) | adicionar aos favoritos

Quarta-feira, 8 de Janeiro de 2014
Personalidade e Fotografia

Estou com saudades de escrever e de fotografar. O tempo é escasso, por isso, vai-se fazendo o que se pode. Escrever é aqui e já, fotografar requer tempo para sair e captar alguma coisa que me interesse.O que não é fácil.

 

Estava eu a dizer: personalidade e fotografia. Para quê? De onde é que nasce a vontade de fotografar? O que nos faz reparar em determinada coisa e não noutra? Porque há coisas que nos hipnotizam e que a outras pessoas são totalmente indiferentes? Porque é que a coisa mais banal pode-se tornar na coisa mais bonita e a coisa mais bonita na mais banal? Porque é que o estranho pode parecer normal e o normal estranho?

 

A Arte requer sensibilidade, abertura, estilo e personalidade da persona que fotografa. Persona deriva do verbo personare: soar através de. Neste caso ressoar através de uma máscara que era utilizada pelos atores gregos nas suas obras de teatro. A máscara dotava ao ator a aparência que o papel exigia e melhorava o timbre da sua voz. Portanto a máscara dotava a pessoa de um papel social. Pessoa era ser através de. Curioso. Não implicava originalidade nem naturalidade.

 

Persona por outro lado, designa um ser que existe, uma individualidade, alguém que possui alma. Personalidade por sua vez, fala das qualidades da pessoa, da sua individualidade consciente, de alguém que exerce as características que lhe são próprias. Mas será que as características próprias por esta lógica são a máscara que a pessoa reveste?

 

Fotografar, por outro lado, significa fixar um objeto com o auxílio da luz - a luz que dá personalidade ao objeto, ou o objeto que é personificado pela luz. A luz é o segredo da fotografia que confere forma e cor ao objeto. Num mundo de escuridão, por muita beleza que existisse, esta seria impossível de captar. Poder-se-ia sentir, ouvir, cheirar e tocar, mas não ver. Talvez os objetos ganhariam uma beleza ainda mais rica sem uma luz que os faça viver ao nível da visão. O milagre da cor seria perdido, mas muitas outras qualidades poderiam ressurgir, mas…impossível de plasmar numa fotografia.

 

A fotografia capta, imortaliza, conta uma história, capta a personalidade das pessoas e dos objetos, suscita pensamentos e emoções e faz-nos compreender um pouco mais de o mistério que nos rodeia. Neste caso, poder-se-á dizer que a vida soa através de uma máquina? Penso que sim. A fotografia confere sentido à vida, ou pelo menos àquilo que nos chama a atenção na vida. Álguém conferiu-nos o grande dom de apreciar o Bom e o Belo, mesmo às pessoas que não têm necessidade de captar seja o que for. Seja natureza, pessoas, cenários de guerra, a fotografia faz-nos parar para ter a grande oportunidade de ver, apreciar, sentir e refletir.

 

A fotografia nasce na personalidade e confere personalidade. É um ato individual, uma predisposição genética que nos chama para o que é belo e bom, mesmo que por vezes se capte o mau e o feio, necessários para alcançar a chamada visão geral da existência.

 

Cada pessoa torna-se mais pessoa ao fazer aquilo de que gosta. A clickar, é com personalidade, se não mais vale ficar quieto no mesmo sítio. As grandes obras de arte nascem dos diferentes estilos conferidos pelas distintas personalidades e sensibilidades de todos nós. É isto que torna o mundo interessante: conhecer uma realidade através dos olhos daquela pessoa. Diferentes formas de sentir conferem diferentes formas de criar, logo, o mundo é uma verdadeira obra de arte. E ainda bem : ).



publicado por Marta às 22:13
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 2 de Agosto de 2013
Os surfistas também rezam

 

Tirei está fotografia o ano passado em Peniche durante o campeonato mundial da rip curl pro. Esta semana uma amiga minha mandou-me uma oração muito especial, e achei que era a oportunidade perfeita para expor esta fotografia de um dos melhores surfistas do mundo, Alejo Muniz, acompanhada de um texto á altura.

 

Também porque vivo acompanhada de surfistas: filhos, amigos dos filhos, amigos e amigas.

Afinal, os surfistas também têm uma oração, mas nunca dei com ela até que uma querida amiga me a deu a conhecer.

 

ORAÇÃO DO SURFISTA

 

Obrigado, Deus-Pai, pela beleza do mar
E pela grandeza do vento e da maré!
Fazei que sempre vos saibamos amar
E aumentai em nós o dom da vossa fé!

Jesus, que andastes sobre as águas do mar,
Dizei-nos o que outrora mandastes a Simão
Para que sobre as ondas saibamos caminhar
E se o pé faltar, não nos falte a vossa mão!

Espírito Santo, que sois fogo e vento,
Acendei em nós o lume da caridade
Para que aos náufragos demos alento
E ajuda a quem tenha necessidade!

Oh Maria, Mãe de Jesus e nossa Mãe,
Estrela do Mar: sede sempre o nosso norte
Porque quem na vida a seu lado vos tem,
É feliz agora e na hora da sua morte!

Anjos da Guarda, doce companhia,
E vós, bem-aventurados Santos e Santas:
Socorrei-nos e salvai-nos, noite e dia,
Guiai nossas almas e as nossas pranchas!

 

P. Gonçalo Portocarrero de Almada



publicado por Marta às 10:25
link do post | comentar | ver comentários (4) | adicionar aos favoritos

Quinta-feira, 1 de Agosto de 2013
Have you ever heard Nature speaking to you?

 

Have you ever heard the sea talking out loud?

 

Have you ever heard the birds cheering up your morning?

 

Have you ever heard the voice of the wind blowing away the unnecessary?

 

Have you ever heard the firmness of thunder trying to put things right?

 

Have you ever heard the bees mating?

 

Have you ever heard the rain cleaning your soul?

 

Have you ever heard the leaves chatting to eachother?

 

Have you ever heard the sun whispering light into your ears?

 

 

Then stop thinking, start listening.

 

MVZ



publicado por Marta às 15:06
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 29 de Julho de 2013
Os pequenos grandes detalhes

 

Hoje deu-me para pensar sobre os pequenos detalhes que fazem TODA a diferença. E porquê?

 

Denunciam grandes significados;

 

Demonstram grandes virtudes;

 

Marcam a diferença;

 

Descrevem as pessoas;

 

Exigem sensibilidade e poder de observação;

 

Formam grandes coisas;

 

Permitem grandes descobertas;

 

Despertam bons sentimentos;

 

Dão respostas;

 

Ficam na memória;

 

São a linguagem de Deus;

 

Unem as pessoas;

 

Fazem o nosso coração vibrar;

 

Ajudam a construir um mundo melhor;

 

Abrem caminho para a esperança;

 

Acho que a felicidade reside aqui, nos pequenos pormenores, para quem os saiba detetar e apreciar. Embora pequenos, os seus efeitos são infindáveis...

 

MVZ



publicado por Marta às 21:36
link do post | comentar | ver comentários (2) | adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 5 de Março de 2012
O Riso é o Melhor Indicador da Alma

Acho que, na maioria dos casos, quando uma pessoa se ri torna-se nojento olharmos para ela. Manifesta-se no riso das pessoas, na maioria das vezes, qualquer coisa de grosseiro que humilha a quem ri, embora essa pessoa quase nunca saiba que efeito o seu riso provoca. Tal como não sabe (ninguém sabe, aliás) a cara que faz quando dorme. Há quem mantenha no sono uma cara inteligente, mas outros há que, embora inteligentes, fazem uma cara tão estúpida a dormir que se torna ridícula.

 


Não sei por que tal acontece, apenas quero salientar que a pessoa que ri, tal como a pessoa que dorme, não sabe a cara que faz. De uma maneira geral, há muitíssimas pessoas que não sabem rir. Aliás, isso não é coisa que se aprenda: é um dom, não se pode aperfeiçoar o riso. A não ser que nos reeduquemos interiormente, que nos desenvolvamos para melhor e que superemos os maus instintos do nosso carácter: então também o riso poderá possivelmente mudar para melhor. A pessoa manifesta no riso aquilo que é, é possível conhecermos num instante todos os seus segredos.Mesmo o riso incontestavelmente inteligente é, às vezes, abominável. O riso exige em primeiro lugar sinceridade, mas onde está a sinceridade das pessoas? O riso exige a ausência de maldade, mas as pessoas, na maioria dos casos, riem com maldade. Um riso sincero e sem maldade é uma pura alegria, mas, nos tempos que correm, onde está a alegria? E poderão as pessoas ser alegres?

 

 
A alegria é um dos mais reveladores traços humanos, basta a alegria para revelar as pessoas dos pés à cabeça. Por vezes não há meio de percebermos o carácter de uma pessoa, mas basta ela rir para lhe conhecermos o feitio como às palmas das nossas mãos. Só as pessoas desenvolvidas do modo mais elevado e feliz sabem ser contagiosamente alegres, de uma maneira irresistível e benévola. Não falo de desenvolvimento intelectual, mas de carácter, do homem como um todo. Portanto: se quiserdes compreender uma pessoa e conhecer-lhe a alma não presteis atenção à sua maneira de se calar, ou de falar, ou de chorar, ou de se emocionar com as ideias mais nobres, olhai antes para ela quando se ri. Ri-se bem - é boa pessoa.

Observai depois todos os matizes: por exemplo, é preciso que o riso não pareça estúpido, por mais alegre e ingénuo que seja. Mal detecteis a mais pequena nota de estupidez num riso, ficai sabendo que a pessoa que assim ri é intelectualmente limitada, apesar de deitar cá para fora um sem-fim de ideias. Mesmo que o riso não seja estúpido, se vos parecer ridículo, nem que seja um pouquinho, ficai sabendo que não há na pessoa que o ri uma verdadeira dignidade, pelo menos uma dignidade suficiente. Por último, notai que, mesmo que um riso seja contagioso mas por qualquer razão vos pareça vulgar, também a natureza dessa pessoa é vulgar, que toda a nobreza e espírito sublime que tínheis visto nela ou são fingidos ou imitados inconscientemente, e que essa pessoa, no futuro, mudará inevitavelmente para pior, dedicar-se-á ao «útil», abandonando sem pena as ideias nobres como sendo erros e paixões da juventude.

(...) Apenas entendo que o riso é a mais certeira prova da alma. Olhai para uma criança: só as crianças sabem rir com perfeição, por isso são fascinantes. É abominável a criança que chora, mas a que ri alegremente é um raio do paraíso, é o futuro do homem quando ele, finalmente, se tornar tão puro e ingénuo como uma criança.

Fiodor Dostoievski, in 'O Adolescente'

 

 



publicado por Marta às 12:01
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2011
Reflexões fotográficas em dias de festa

Não optei pela fotografia, tropecei nela, apaixonei-me e hoje em dia faz parte essencial do meu equilíbrio.

 

A fotografia ensinou-me a ver. Quando olho para os objetos não vejo simples objetos, vejo entes com possibilidades infinitas de serem mais e melhor.

 

Fotografar enche-me a alma, desafia a minha imaginação, obriga-me a ver para além do óbvio, transporta-me para um mundo com existência própria, onde o tempo para e tudo parece alcançável.

 

O que é que eu fotografo? Aquilo que dá forma aos meus sentimentos, aos meus medos, coisas com potencial que se podem tornar no melhor de si mesmas.

 

A fotografia é uma procura, um desejo de eternizar determinado momento, que nunca será repetido daquela maneira. Acho que é a curiosidade de explorar, de captar o que o mundo tem de único e que é digno da nossa atenção num determinado momento da nossa existência.

Quando levo a máquina comigo, é como vestir um colete anti balas. Sinto-me segura e intocável, com um mundo à minha espera.

A imagem que captamos não é um objeto por si só, mas também uma parte da minha essência que está lá impressa pela forma como chamou por mim.

 

Uma fotografia deve puxar pela nossa imaginação, produzir uma sensação. Ver de formas novas e diferentes o que já existe, eis o desafio, o meu desafio.




publicado por Marta às 17:27
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Terça-feira, 13 de Dezembro de 2011
Confiança Audaz - Um texto inspirador

Há um momento na aprendizagem de cada homem em que este chega à convicção de que a inveja é ignorância; que a imitação é suicídio; que ele tem que se tomar a ele próprio tanto para melhor, tanto para pior, como a sua parcela; que embora o universo esteja cheio de coisas boas, nenhuma semente de milho nutritiva chegará a ele senão através da labuta que ele ofereça nesse lote de terreno que lhe foi dado para cultivar.

 

O poder que reside nele é novo na natureza, e nenhum outro senão ele sabe o que é que pode fazer, e não o saberá até que o tente. Não é por nada que uma cara, um carácter, um facto, causa muito impressão nele, e outros não têm qualquer efeito. Esta escultura na memória não existe sem uma harmonia pré-estabelecida. O olho foi colocado onde um raio deve cair, de forma a testemunhar esse raio em particular.

 

Nós apenas nos exprimimos pela metade, e temos vergonha da ideia divina que cada um de nós representa. Podemos ser de confiança e de motivações boas e proporcionais, e darmo-nos fielmente, mas Deus não terá o seu trabalho mais manifesto feito por cobardes.

 

Um homem está seguro e tranquilo quando coloca todo o coração no seu trabalho ou outra actividade e faz o seu melhor de acordo consigo próprio; mas o que ele diz ou faz de outra maneira, não lhe dará nenhuma paz. É uma entrega que não rende nada. Na tentativa o seu génio abandona-o; nenhuma musa o ajuda; nenhuma invenção, nenhuma esperança. Confia em ti próprio: todo o coração vibra a essa corda de ferro.

Ralph Waldo Emerson, in 'A Confiança em Si Mesmo'

 

 



publicado por Marta às 11:42
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

Segunda-feira, 12 de Dezembro de 2011
Hoje faço anos

 

Hoje faço anos e adoro fazer anos.

Somos o centro das atenções

Ouvem-nos, telefonam-nos, felicitam-nos

E isso faz-nos sentir os melhores do mundo

Por um dia.

 

Pessoas que não pensei que se lembrassem,

Pessoas que pensei que se lembrassem,

Pessoas que não têm obrigação de se lembrar,

Mas que se lembram.

 

Sentir-nos queridos é a coisa melhor do mundo

E quando gostamos e somos correspondidos isso então é

um dos melhores milagres da vida, seja no amor ou na amizade.

 

E todas estas pessoas estão no meu coração, porque o que é bom não se esquece.



publicado por Marta às 11:33
link do post | comentar | ver comentários (4) | adicionar aos favoritos

Terça-feira, 22 de Novembro de 2011
Alcatraz

No último dia da minha estadia em São Francisco fui visitar a famosa prisão de Alcatraz (ver historia, vale a pena), onde estiveram presos personagens como Al Capone.

 

No dia em que fui tive a sorte de coincidir com a Deirdre Capone, sobrinha do famoso bootlegger, que acabou de lançar um livro sobre o tio, dando a conhecer o seu lado mais "ternurento" e familiar  e contando episódios fantásticos que jamais imaginaríamos sobre ele.

 

Há uma nota que vale a pena salientar. Al Capone foi para a prisão por evasão fiscal e não por todos os crimes que cometeu. Porquê? Ele fornecia bebidas alcólicas a todo o poder de Chicago, portanto se o denunciassem, naturalmente seriam desmantelados todos os seus clientes, e por isso Al Capone permaneceu intocável durante muitos anos. Há quem diga que o queriam afastar da cena, porque detinha demasiado poder sobre a ecónomia local, não deixava espaço para a concorrência e tinha demasiadas pessoas importantes na mão. No fim conseguiram-no tramar por fuga aos impostos.

 

Al Capone era oriundo de uma família muito pobre e tinha 8 irmãos. O pai morreu muito cedo, fazendo com que eles se agarrassem à vida como pudessem para sobreviver e sustentar a família. A via mais fácil e rápida foi a criminalidade.

 

Ele sofria de sífilis, e quando saiu da prisão teve de permanecer num hospital psiquiátrico durante muito tempo. Os efeitos da doença provocavam uma degeneração mental, tanto que se esqueceu onde tinha guardado todo o dinheiro feito em vida, que foram milhões e milhões entre bordeis, os ditos "saloons", e claro o contrabando de álcool.

 

Acabou os seus dias em Miami e morreu de um enfarte.

 



publicado por Marta às 10:26
link do post | comentar | adicionar aos favoritos


.mais sobre mim
.pesquisar neste blog
 
.posts recentes

. Meia-Maratona de Lisboa

. Personalidade e Fotografi...

. Os surfistas também rezam

. Have you ever heard Natur...

. Os pequenos grandes detal...

. O Riso é o Melhor Indicad...

. Reflexões fotográficas em...

. Confiança Audaz - Um text...

. Hoje faço anos

. Alcatraz

.arquivos

. Julho 2015

. Outubro 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

.tags

. todas as tags

.Copyright
Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
.subscrever feeds